Estradas!

Depois de visitarmos o Fitz Roy em El Chaltén, seguimos viagem para Los Antígos, nossa pretensão era atravessar para o Chile logo no dia seguinte, mas as coisas não saíram exatamente como gostaríamos.

A “Ruta 40” é muito escassa em posto de combustíveis então enchemos o tanque na cidade de Três Lagos perto de El Chaltén, o único posto em 337km, a não ser que você saia da estrada 70km para abastecer em Gobernador Gregores, e depois retorne outros 70km, e esta definitivamente não era nossa idéia. Já no posto fomos surpreendidos por uma queda de luz e tivemos que ficar esperando por 1 hora. A “Ruta 40” tem o título de estrada mais solitária da Argentina, ela cruza quase todo o país de sul a norte pelo lado da Cordilheira e é quase toda em cascalhos, embora o governo argentino já tenha asfaltado alguns trechos e pretenda asfaltá-la por completo. Bem, o trecho que fizemos estava praticamente todo em obra e péssimas condições, ventava muito e os caminhões corriam demais. Logo no início da viagem conversávamos sobre os riscos desta estrada, sendo o mais comum vidros quebrados pelos cascalhos lançados por outros veículos, em questão de segundos veio uma van em nossa direção, correndo é claro, e levantou várias pedras, o vento estava a favor dela o que ajudou muito a quebrar em três lugares nosso pára-brisa. Ficamos de boca aberta, pois bastaria que os carros quando fossem cruzar com outros diminuíssem a velocidade para que isto fosse evitado, mas que nada, parecia que a van ia levantar vôo. O mais comum é que o carro da frente lance os cascalhos em cima de você, ou mesmo na hora da ultrapassagem, mas no nosso caso foi demais. Sem ter o que fazer, continuamos viajando e quase todo tempo com vento contra nós, mesmo acelerando parecia que o carro não sai do lugar. Outra coisa ruim é a sinalização, um horror!

A noite caiu e não chegávamos, as lebres voltaram a pipocar na frente do nosso carro e o cansaço batendo. Por sorte existe Bajo Caracoles, um lugarejo no meio da estrada com um único hotel onde passamos a noite, estávamos bem perto de Los Antiguos, mas já era quase 1h da manhã e achamos melhor descansar. Além do mais, tínhamos percorrido 458km em 11 horas!

Dia seguinte pegamos o carro e finalmente chegamos à Los Antíguos, cidade pequena na fronteira com o Chile à beira do Lago Buenos Aires, era nossa última parada antes de entrarmos na Carretera Austral (estrada que conecta a Patagônia Chilena ao resto do país). Partimos de manhã cedo, afinal sabíamos dos desafios que a Carretera impõe, ela é quase toda em cascalho, terreno muito acidentado, sem acostamento, sendo que, em alguns lugares só passa um carro, e está sempre em manutenção. Depois de percorremos o Lago General Carretera com suas águas azuis, entramos em uma área de floresta temperada com vistas espetaculares. Paramos em Coyhaique para dormir e então continuar para Puerto Cisne.

BLOG CHILE LAGO
Lago General Carretera!

Puerto Cisne é um povoado muito acolhedor e charmoso, entre as montanhas e o mar, e o trecho até aqui já está asfaltado e em boas condições. Ficamos na cidade por um dia e partimos para conhecer o Parque Nacional Queulat, o que mais queríamos ver era o Ventisquero Colgante (glaciar “pendurado” no alto da montanha), até tentamos chegar lá em meio a uma curta caminhada na mata escura e lameada. Ficamos no mirante por uns 30 minutos esperando que a densa neblina se dissipasse para vermos o glaciar, mas a única coisa que conseguimos ver foi a cachoeira que cai no local onde ele fica. Já preocupados com a estrada decidimos seguir, passamos para conhecer Futaleufú na fronteira com a Argentina e logo seguimos para em Esquel.

BLOG CHILE PUERTO CISNE
Puerto Cisne!

O nosso primeiro percurso pela “Ruta 40” deixou marcas, não somente o vidro quebrado, mas também uma boa noção do que é a solitária Patagônia, e apesar do ocorrido sabemos com muitas paisagens bonitas nos esperam mais ao norte. Já a Carretera Austral nos mostrou como é possível através da vontade e ajuda da engenharia, unir um país. Quando montamos nosso roteiro inicial sequer tínhamos cogitado a possibilidade de subir pelo Chile, mas os caminhos mudam e estradas são mais que simples caminhos, são locais onde se escrevem histórias!

“Os erros são, no mínimo, um sinal de que estamos saindo da estrada principal e experimentando outros caminhos.”

(Roger Von Oech)

Um trecho da estrada estava interditado e tivemos que fazer o percurso por mar. Transporte gratuito oferecido pelo governo chileno!!
Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. NEIA E EMILIO disse:

    QUE LEGAL ESSA PARTE….ADORO LER ESSAS NOVIDADES… TÁ FRIO…QUE LUGARES MARAVILHOSOS HEM!!!! MELHOR DO QUE MUITO SHOPPING…. ALIÁS SE VIVE COM POUCO E NÓS É QUE NOS PRENDEMOS A MUITO….
    BJS DA NEIA E EMILIO DE TERESÓPOLIS/RJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s