A trilha para “The Magic Bus” e o Denali National Park!

em

Este post é sobre The Magic Bus e o Denali National Park, então recomendamos para quem não sabe nada a respeito do primeiro que assista ao filme Into the Wild e nos acompanhe nesta trilha!

Em nosso último dia no camping em Fairbanks conversando com o canadense Jim Pissot falamos sobre a trilha até “The magic bus” e perguntamos se ele sabia a localização exata, ele gentilmente trouxe o mapa do Denali e nos mostrou a trilha que leva ao local, na verdade o ônibus fica fora das delimitações do parque, sendo possível chegar apenas por uma via rudimentar e que até agora só sabíamos que era muito difícil.

Pegamos a estrada  – Stampede Trail – e fomos alimentando esperanças sobre a possibilidade de naquele dia o tempo e todas as condições estarem favoráveis para chegarmos lá. Muitos podem estar se perguntando, mas porque este local?! Vamos tentar explicar em poucas linhas, mas não vamos contar a história para não estragar a diversão daqueles que irão assistir ao filme! Bem, o Alasca representa para muitas pessoas um lugar de isolamento, aqui a maior parte do estado é selvagem, não existem rodovias de acesso e as condições climáticas são desafiadoras. O lugar em questão tem histórias antigas e só ficou de fato famoso depois da vinda do “Supertramp”, um jovem que queria fugir da sociedade, o que, aliás, muitos têm pensado em fazer. Para nós envolve o desafio da trilha, um momento de reflexão e um foto que ficaria em nossas mentes, mas a nossa história neste local foi bem diferente, e temos que ser gratos por isto!

Quando percorremos o primeiro trecho da estrada, pensamos, está legal vai dar para chegar até o final, mais um pouco e atolamos feio! Depois de um tempo ali tentando libertar o Troller achamos que deveríamos pedir ajuda, mas antes duas últimas tentativas, colocamos nosso guincho em um pequeno arbusto e nada aconteceu, precisaríamos de uma árvore maior e só existiam poucas por ali, e a nossa segunda opção estava bem longe, mas tentamos levar o guincho assim mesmo, o que felizmente deu certo, aos poucos fomos conseguindo nos livrar da lama e voltamos para uma parte de pedras, aliás, nós só fomos parar ali porque ficamos com receio de passar em uma “piscina” que não tínhamos idéia das condições do piso embaixo e da profundidade, bom, mas saímos e resolvemos continuar. Paramos um pouco para ver a paisagem e tomar fôlego quando veio um grupo enorme de Jeeps e parou para perguntar o que tinha acontecido para estarmos tão limpinhos, explicamos o ocorrido e logo eles falaram: isto aqui é a parte boa! Eles nos convidaram para ir seguindo-os até um acampamento base, e lá fomos nós fechando o comboio. Até o momento estavam achando que tínhamos um Jeep também, porém mais robusto e equipado. Realmente a trilha foi piorando, muitos degraus na estrada, lama, piscinas e a coisa mais temida para um jipeiro por aqui, a tundra, muito parecida com um “charco” nosso quando chove muito. Ainda não tínhamos tido a oportunidade de conversar com o organizador do grupo, mas quando paramos no acampamento falamos sobre as nossas pretensões e ele fez uma expressão de, não vai dar! Disse que nesta época do ano seria praticamente impossível passar pela tundra, e se mesmo assim tivéssemos esta sorte, dificilmente atravessaríamos os dois rios que estavam cheios e com forte correnteza (este sim era um real problema para nós, porque em relação ao rio, já atravessamos muitos e alguns bem profundos, com água por cima do capô), mas disse para irmos até onde achássemos que desse, ele até nos acompanharia se estivesse com seu carro particular, mas estava guiando o grupo.

Nós resolvemos continuar, chegamos até a placa colocada em uma árvore pelo Jeep Club do Alaska informando sobre a possibilidade de atolarmos a partir daquele ponto, então encostamos o carro e andamos mais uns três metros e atolamos, ficamos bem cheinhos de lama até o joelho. Achamos melhor não prosseguir, apenas uma pessoa sabia que estávamos por lá e seria melhor ter outro carro, pois é assim que fazemos trilhas no Brasil, nunca sozinhos. Já na volta encontramos com dois homens em quadricículos e perguntamos se eles tinham ido para o lado do Magic Bus e eles disseram que no dia anterior tinham ficado atolados na tundra e resolveram voltar, mais uns quilômetros e encontramos um grupo de caçadores em veículos 6×6, fizemos a mesma pergunta e eles responderam que na semana passada um casal precisou ser resgatado de helicóptero porque o rio subiu e não tiveram como sair de lá, mais um pouco a frente e encontramos com uma viatura com dois policiais e pela terceira e última vez fizemos a mesma pergunta e a resposta não foi diferente das anteriores. Eles perguntaram se tínhamos comida e para quanto tempo, quantos litros de água, armas caso fossemos atacados por lobos ou ursos, spray de pimenta, agasalhos, depois anotou nossa placa e disse que aquele dia já estava tarde, que eles não poderiam nos impedir de ir, e se quiséssemos tentar era um direito nosso. Por fim falaram: “pessoas morrem tentando fazer esta trilha, você consegue chegar e às vezes não pode voltar, uns morrem de frio, outros de fome, e muitos tentando atravessar o rio, na maioria são pessoas caminhando, mas se o carro de vocês ficar preso do outro lado não teremos como retirá-lo, vocês terão que esperar as condições para voltarem e resgatá-lo e não temos idéia de quanto tempo isto levaria, e vocês sairiam de helicóptero como os que já estiveram aqui e experimentaram os mesmos riscos. O Alaska estará aqui para vocês se quiserem voltar em outra ocasião para entrarem na lista dos que já fizeram a Stampede trail, mas tenham em mente os inúmeros riscos e as recompensas antes de se meterem por lá.”

Para nós foi o suficiente, sabemos da importância em respeitar os limites, não abusaríamos da sorte, tivemos nossas sete horas de diversão por lá e optamos por voltar e continuar por estradas mais seguras, até aqui já tínhamos motivos suficientes para voltarmos a este estado tão surpreendente e este foi mais um para nossa lista. Stampede trail, nós voltaremos!

Dormimos perto dali e dia seguinte partimos para o tão esperado Denali National Park. No centro de visitantes nos informamos sobre os tours de ônibus (não é permitido cruzar o parque em veículo particular, apenas RV’s que possuem autorização podem ir até um determinado ponto para pernoitarem, também quem quiser fazer camping selvagem pode ir de ônibus até perto dos acampamentos) e descobrimos que eles partem pela manhã e voltam no final do dia. Nós escolhemos o tour de 12 horas para o dia seguinte. Aproveitamos para descansar um pouco e limpar o carro, além disto, quando paramos para reparar uma falha no freio devido ao ar que entrou na mangueira quando completamos o óleo, a senhora da agência de turismo onde alugavam Jeeps, disse que perto dali era possível visitar o ônibus que foi utilizado para as filmagens e nós fomos lá ver o cenário! O dia estava frio e chuvoso demais, e dormimos preocupados se os U$48,00 do tour seriam compensados.

Acordamos com um céu azul, tudo estava perfeito para nosso tour. Apesar de não apreciarmos este tipo de passeio organizado, ficamos bem satisfeito no final do dia quando chegamos de volta ao camping, tínhamos visto grissly bear, moose, caribou, dall sheep e todos bem perto, até o motorista estava entusiasmado, pois disse que fazia tempo que via os animais só de longe. O Denali é realmente lindo e as 12 horas voaram, tivemos um dia excelente, estávamos prontos para seguir em direção à Homer mais ao sul!

The Magic Bus

 

Interior The Magic Bus - cenário!

 

Interior The Magic Bus - cenário!
Anúncios

10 comentários Adicione o seu

  1. RODRIGO MARTINS disse:

    Fala amigão,

    Sinistra essa historia, vou ver o filme.

    Estou guardando um abraço enorme que quando vocês chegarem aqui eu vou deixa-los sem ar.

    Como sempre leio os artigos e praticamente visualizo tudo que esta escrito, como se eu estivesse com vocês.

    Não ultrapasse nunca os limites se possível não vá até eles.

    Sorte e tudo de bom a vocês, se cuidem, grande abraço T+.

  2. Fernanda Pecego disse:

    Eu tenho que dar meu comentário….
    Fiquei arrepiada de ver sua foto ao lado do Magic Bus, mesmo sendo cenário!
    O interior dele igualzinho ao filme…nossa que experiência bárbara!!
    Quanto a aventura anterior, eu já tinha desistido muito antes…eheheh!!
    Parabéns pela aventura e pela conquista!!!!!
    Léo Supertramp…kkkk!!!!
    bjs nos dois

  3. Marina disse:

    oi casal!
    Muito legal a visita ao Denali e a foto em frente ao ônibus de “mentira”!
    De arrepiar essa história, não?
    Mas eu prefiro a de vcs. Viram, aproveitaram, fotografaram a natureza selvagem mas têm histórias para compartilhar (e não apenas para contarem por vcs, como o rapaz do filme)
    Tamo junto nesse Troler (daqui a pouco, na Hilux)
    bjo, Marina

    1. expedicaoih disse:

      Marina e Mauro,

      Estamos esperando por vocês no caminho :)!
      Certamente não queremos que apenas os outros contem a nossa história, queremos ser nós mesmos a fazê-lo, pelo meno nos próximos 100 anos, hehehe!

      Beijos

  4. Eliane disse:

    Oi pessoal!

    Não assisti ao filme mas já estou tentando fazê-lo. O diretor é muito bom.
    A aventura parece que esta ficando cada vez mais radical, fiquei anciosa só em ler a passagem do troller atolado e sem um ponto forte para usar o guincho. rsrsrsrs
    Não abusem da sorte mas vivam todas as aventuras possíveis.
    Bjs grandes e boa sorte

  5. Regis disse:

    PQP! Vcs foram no Magic Bus, poxa, ja assisti ao filme várias vezes e ja li o livro tbm várias vezes, penso que todos deveriam ler o livro e outro livro tbm que todos deveria ler é On The Road de Jack Kerouac…

    Quando comentei no post do Alaska eu ia pergunta se vcs iriam no Magic Bus, mas acabei não perguntando..

    Adorei as fotos e os relatos, sensacional!
    Vlw =)

  6. Judy Berry disse:

    We saw you in the Baraboo Wisconsin Wal-Mart parking lot today – Sunday May 20, 2012 around noon. I am fascinated by your adventure. Were you on your way to Wisconsin Dells as I could see you had been there before. Very interesting life you are leading!!

  7. kaio disse:

    Muito incrivel a viagem, muito boa messsmoomuitas fotos muitos lugares muito incrivel.

  8. Rafael Almeida disse:

    Olá, meu nome é Rafael, que legal essa viagem. Eu estou planejando ir também. Será que vocês pode me dizer em qual aeroporto ir? depois pego trem para alguma cidade ? Obrigado se puderem respoder. ABS

    1. expedicaoih disse:

      Olá Rafael, desculpe a demora em responder, estamos viajando novamente e como o site está em manutenção raras vezes entramos aqui. Um bom aeroporto é o de Anchorage, de la pode pegar trem para Denali, tem uma estacão bem em frente, para visitar o Parque precisa pagar o tour de ônibus na própria bilheteria do parque. Abraços e esperamos ter ajudado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s