O longo caminho pelas montanhas, inquietação e escolhas!

O que tínhamos em mente para nossa visita ao Shenandoah National Park era muita diversão e camping, mas o problema do carro nos deixou bem desanimados, o pior de tudo para nós não era o problema em si, mas o fato de ninguém se propor a resolvê-lo. Já tínhamos escutado cada coisa absurda como “vamos precisar de uma máquina especializa para fazer o serviço, o que levará três semanas até desmontarmos e diagnosticarmos o problema cobramos 100 dólares a hora e teremos que somar as 24h de cada dia da semana.” Tínhamos certeza de que eles sequer queriam fazer o serviço e, portanto colocavam empecilhos para que desistíssemos, o que realmente fazíamos, imagina pagar algo em torno de 7.200 dólares fora peças.

Shenandoah National Park!

O Shenandoah proporciona 168km sobre as montanhas Blue Ridge com vistas incríveis das cores do outono. Passamos pelo parque parando a cada 15km para colocar anticongelante, a fumaça branca não parava de sair, e o que deveria ser divertido foi estressante e não desfrutamos tanto das belezas do lugar.

Shenandoah National Park!

A próxima cidade maior que tínhamos pela frente era a Roanoke. Começamos a pensar como solucionar o problema, os americanos não queriam chegar perto do carro (eles morrem de medo de serem processados, e como não conheciam o nosso carro e ele não constava nos sistema deles arrumavam desculpas para não fazerem o reparo), precisaríamos de um brasileiro, ou qualquer outro latino, só eles fariam o serviço. Resolvemos procurar no GPS algum restaurante brasileiro, fizemos isto em vários outros lugares e sempre achamos. Conseguimos um endereço bem próximo de onde estávamos e fomos até lá, a ideia era pedir uma indicação, alguém de confiança que pudesse mexer no carro, mas ninguém tinha o contato do único brasileiro mecânico nas redondezas, mas nos indicaram outro restaurante de brasileiros onde disseram ser certo conseguir o telefone de contato.

Era noite já quando estacionamos no Luigi’s Italian Gourmet Restaurant mal saímos do carro e um homem se aproximou para saber de onde éramos, depois disto nos convidou para jantarmos e nos apresentou a dona do restaurante, Maristane. Maristane e seu irmão começaram a ligar para várias pessoas e conseguiram o telefone do mecânico brasileiro, enquanto estávamos no restaurante dela desfrutando de uma comida deliciosa conhecemos o Ricardo, a Márcia e a filha dela, todos brasileiros que vivem em Roanoke e que nos receberam muito bem. Dormimos na casa da Maristane e na manhã seguinte fomos para a cidade onde o Pedro (mecânico brasileiro) tem sua oficina.

Explicamos o acontecido para o Pedro e ele disse que só teria como diagnosticar desmontando, o problema do desmontar para ver e que teríamos que esperar as peças chegarem do Brasil (tentamos contato direto com a MWM-International nos EUA, mas disseram não ter a peça) e isto levaria tempo, novamente nos aproximávamos do fim de semana e não conseguiríamos fazer nada até a terça-feira seguinte, depois disto ainda teriam os custos das peças, poderia ser somente a junta do cabeçote ou ele inteiro e teríamos que comprar tudo mesmo sem saber o problema, ou então levaria ainda mais tempo.

Embora o Pedro seja brasileiro faz anos que vive nos EUA e não conhecia o Troller, ele nos alertou que algo poderia quebrar na desmontagem e que não fazia ideia de quanto tempo levaria para fazer o serviço, uma vez que não conhecia o carro. Achamos melhor ligar para o Brasil e colocá-lo para conversar diretamente com o chefe da oficina Trilha Santa Catarina, o que ajudou a esclarecer muitas coisas. Seriam em média 10h para desmontar e uma vez retirado os bicos de injeções estes se quebrariam e também teríamos que comprá-los. Passamos o dia inteiro na oficina ligando para vários amigos do Canadá e EUA para saber se era possível encontrar alguma peça compatível, mas sem sucesso. Fomos dormir em um hotelzinho perto da oficina e voltamos no dia seguinte. Pedro comentou conosco que nos EUA existia um produto que prometia reparar este problema, já que era comum acontecer isto com outros motoristas, se trata de um selante a base de alumínio líquido, disse que poderia tentar, mas que de qualquer modo valeria a pena na América Central buscar um reparo definitivo e 100% garantido. Ficamos receosos de tentar, mas depois pensando melhor quais seriam os riscos vimos que valeria a pena e pedimos a ele que tentasse. Toda a água foi retirada para a colocação dos produtos, depois disto somente anticongelante foi adicionado e fomos almoçar para testar o carro. A fumaça tinha parado de sair e a água não baixou mais, parecia ter estabilizado! Ficamos nos entreolhando e pensando vamos assumir seguir com o carro e confiar neste produto?! Sim, vamos! O custo para comprar as peças, o envio, a mão de obra e os dias parados representavam um rombo enorme em nosso orçamento, parte da viagem ficaria comprometida e teríamos que encurtar e muito a volta. Poderíamos tentar ir seguindo com o carro e ir observando o seu desempenho, ainda teríamos que cruzar os EUA até a Califórnia porque já tínhamos decidido entrar no México pela Baja e seriam mais uns 5.000km de teste, achamos que os riscos valiam a pena. Partimos no mesmo instante imensamente gratos ao Pedro que nos ofereceu casa, comida e todo apoio, além disto, não nos cobrou pelo trabalho e ainda nos presenteou com os produtos e anticongelantes, mas mais do que tudo isto, nos deu tranquilidade para fazermos nossa escolha, à Maristane que foi quem nos recebeu como uma mãe, e aos novos amigos que se mobilizaram para nos ajudar, aos amigos no Brasil que mandaram e-mails com dicas, ao casal Marina e Mauro do projetoanima pelo contato direto com o pessoal da MWM-International.

Produtos que utilizamos!

Certamente estes foram dos dias de maiores desgastes para nós, ficar buscando ajuda e não encontrar, depois a dificuldades com as peças, os custos altos do reparo, tudo isto nos deixou bem exaustos. Por mais que tenhamos as reservas para imprevistos, jamais cogitamos que elas poderiam representam algo como três meses de viagem comprometidos. Os problemas vieram em cadeia, amortecedores, motor do vidro, vidro, pastilhas e a junta do cabeçote, não tivemos muito tempo para respirar entre uma coisa e outra e isto foi desanimador. Agora tínhamos que assumir os riscos da nossa escolha, faltava agora esperar que tudo corresse bem!

Anúncios

10 comentários Adicione o seu

  1. Evanio disse:

    Força!!!!!! Tudo vai dar certo.

    1. expedicaoih disse:

      Valeu Evanio pela força!
      Abçs

  2. josy disse:

    imagino como deve ter sido dificl
    mas o importante e que vcs estao bem,!
    Deus os abencoe,.e que nao ocorra mais imprevistos…
    sigam em frente amigos!

    1. expedicaoih disse:

      Josy estamos bem, e o carrinho continua nos levando a lugares lindos.
      Beijo grande nos dois aí em Vancouver!!!

  3. Luana Martins disse:

    Dani e Leo,

    Galera 2012 começou bem hein!!!!, saber que vcs estao otimos e que esta aventura está a mil maravilhas, é claro com alguns percalços mas o que vale é a emoçao de passar por todos estes lugares e saber como foi e esta sendo estes caminhos, esta experiencia eh um maximo….
    Um abraço grande para vcs, adorei a fotos e esta do Shenandoah National Park esta espetacular….

    Abraços,
    Luana Martins.

    1. expedicaoih disse:

      Olá Luana!

      2012 está prometendo, realmente faz parte estes percalços!
      Um outro abraço muito grande para você!

  4. Marcelo Gueldini disse:

    Quanto coisa errada ao mesmoótimo.O que vcs estão fazendo com o troller aumenta o desafio e torna a expedição diferente das já realizadas em outros veículos. Bola para frente sempre, nunca pode desanimar, resolvam um problema de cada vez. Um ótima viagem para vcs, sempre amparem um ao outro, vcs são seu Porto seguro!

    1. expedicaoih disse:

      Pois é Marcelo tudo de uma vez é demais! Realmente ter um ao outro e poder contar com amigos é muito importante em momentos difíceis, afinal de contas uma das piores coisa para qualquer viajante é ter que ficar parado na marra!
      Abraços e obrigado,

      Leo e Dani

  5. RODRIGO MARTINS disse:

    Tudo vai dar certo na verdade já deu eu estou lendo o post só agora, mas se você tivesse me ligado eu pegava meu jato particular e entregava pra vc.

    OLHA O JATO!!! kkkkkkkkkkkk lembra???

    Força amigão.

    1. expedicaoih disse:

      Estou dispensando este jato aí, rsrs!

      Vamos que vamos!!!

      Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s