Baja California Sur!

O caminho até Bahía Asunción foi exatamente igual ao de Guerrero Negro até Bahía Tortugas, muita poeira, pedras e deserto.

Bahia Asunción é um povoado com mais ou menos 750 habitantes, lá todo mundo se conhece e foi fácil encontrar a Shari, amiga do amigo Mark de San Diego que contribui com o projeto da Yatchaid.  Nossa passagem por aqui foi breve, e depois de uma boa conversa ela nos convidou para dormimos no camping a mar escutando as ondas.

Saímos bem cedo e pegamos novamente a rodovia principal, mas por pouco tempo porque nosso destino era a pequena San Francisco de la Sierra, e novamente poeira e pedras, só que com um diferencial, o entorno era cheio de cactus e estávamos bem acima do nível do mar. Chegamos a este lugar depois de lermos sobre as pinturas nas cavernas com até 10.000 anos de idade. Três passeios são oferecidos pela agência de turismo local responsável pela preservação destas cavernas, dois levam para dentro do cânion e duram três noites numa longa jornada em mulas, a terceira caverna é mais acessível, fica a beira da estrada já quase na entrada da cidade. Nós fomos para conhecer a acessível, chamada Cueva del Ratón, achamos impressionante a nitidez das cores e formas, vale lembrar que esta é uma região bem árida onde chove em média 10 dias por ano, o que contribui para manter as pinturas dos antigos povos que habitaram esta região tão visíveis para pessoas do nosso tempo. Porém o mais interessante desta nossa visita a San Francisco foi que depois de 1he30min dirigindo por esta estrada tortuosa chegamos ao local de informações onde um senhor que trabalhava lá falou que custava 70 pesos por pessoa mais 50 pesos para fotografar. De fato não é caro, mas pensamos que por ser um ponto turístico seria possível pagar com cartão ou teria algum local para sacarmos dinheiro, a verdade é que San Francisco é um lugarejo menos de 300 habitantes e pouco visitado. Uma família de mexicanos tinha acabado de voltar da visita deles e escutaram quando falamos que teríamos que ir a uma cidade maior sacar dinheiro para depois voltarmos e quando já íamos em direção ao carro escutamos a família mexicana nos chamando, então veio um casal e nos disse: “por favor, não vão embora sem visitar as pinturas, nós queremos pagar para que vocês conheçam, não recusem porque é de coração!” Olhamos um para a cara do outro morrendo de vergonha em aceitar e também em dizer não. Falamos que iremos sacar dinheiro e voltaríamos, mas eles disseram que não vale a pena tantas horas indo e voltando se poderíamos ver logo e seguir nosso caminho. Acabamos aceitando também de coração, demos o que tínhamos e eles interaram. Era nosso quarto dia no México e recebemos um carinho tão grande de pessoas extremamente simples. Depois de tudo acertado fomos junto com um guia conhecer a “Cueva”.

Cactus no caminho para San Francisco de la Sierra!
Família mexicana que tornou possível nossa visita a Cueva del Ratón!
Cueva del Ratón em San Francisco de la Sierra!

Seguimos viagem para Santa Rosália, mas antes passamos em San Ignácio para ver a Misión de San Ignacio de Loyola. Santa Rosália é uma cidade portuária movimentada, que foi fundada em 1884 por franceses que vieram explorar o cobre da região. Traços arquitetônicos desta influência podem ser vistos nas residências no centro e na igreja de metal que muitos consideram ser desenho do famoso Gustave Eiffel.

Igreja de metal em Santa Rosália, possível obra de Gustave Eiffel!

Em direção ao sul está Mulegé, lá conseguimos tirar uma soneca da tarde num pequeno trecho de pedras entre as águas do Mar de Cortez. Seguindo pela rodovia principal chegamos a Bahía Concecpción onde estão várias praias com águas coloridas e areias claras, e muitos lugares para camping, embora com pouca ou nenhuma estrutura.

Uma das muitas praias encantadoras da Bahía Concecpción!

Indo para Loreto fomos parados três vezes em barricadas militares, onde nos perguntaram de onde vínhamos, para onde íamos, e de onde éramos, ficavam todos admirados quando falávamos que éramos brasileiros, o que é de se esperar visto que 90% dos turistas que frequentam a área são americanos e canadenses que fugindo do frio dirigem em seus RV’s por toda Baja e permanecem na região de 3 a 6 meses.

Acampamos em Loreto uma noite e depois demos uma boa esticada para chegarmos a San Jose del Cabo.

San Jose apesar de muito turística conserva seu centro histórico calmo rodeado de galerias de arte, e sua atmosfera de cidade pacata.

A 40 minutos de San Jose está Cabo San Lucas, com muitas atrações e passeios, incluindo o grande arco natural. Primeiro dia na cidade fomos fazer um passeio de barco com direito a mergulho, comida e bebida, apesar de não fazermos passeios para “gringos” a senhora que nos vendeu os bilhetes nos deu 70% de desconto por sermos brasileiros. Ao caminhar pela marina você escutará muito mais inglês do que espanhol, mas apesar de termos a sensação de estarmos nos EUA ou Canadá, o tempero da comida não deixa dúvidas, isto é México!

Foi em Cabo San Lucas que passamos o Natal num dos poucos restaurantes que ficaram abertos para a ceia, os mexicanos apreciam esta data junto com seus familiares e todos os donos de negócios liberam seus funcionários, o que achamos muito justo.

Nosso destino seguinte foi La Paz capital do estado e última parada antes de embarcarmos o carro para Mazatlán. No caminho para La Paz passamos por Todos Santos onde fica o Hotel California da música de mesmo nome.

Welcome to the Hotel California Such a lovely place Such a lovely face…

La Paz foi surpreendentemente mais cara do que Cabo San Lucas e San Jose del Cabo, mas conseguimos um albergue frio e claustrofóbico por um preço dentro do nosso orçamento. Tínhamos a pretensão de passar o Reveillon em Puerto Vallarta, mas depois de voltarmos da empresa marítima responsável pelo transporte recebemos a notícia que só havia vaga para o dia 09 de janeiro, e ainda era dia 28 de dezembro. Pensamos o que seria melhor fazer e decidimos que ficar ali todo este tempo num quarto de albergue como aquele não era exatamente como imaginávamos passar a virada do ano, resolvemos então pesquisar na internet algum lugar para alugar por este tempo e conseguimos em Cabo San Lucas uma kitinet pouco mais cara que o hotel, mas que teríamos nossa cozinha e tranquilidade, o que nos pareceu ser uma ótima oportunidade. Saindo do posto de combustível fomos parados pela primeira vez pela polícia que alegava que tínhamos feio um retorno em “U” dentro da pista principal, começamos a explicar que saímos do posto e não estávamos na pista, mas ele pegou a carteira de motorista do Leo e queria nos multar em R$100,00, em questão de segundos outros dois carros fizeram a mesma manobra que nós, o que foi perfeito para perguntarmos se aquilo no país dele era retornar em “U”, e ele disse que não, então depois sorrindo nos devolveu a carteira. Já escutamos várias histórias de viajantes falando da má fama dos policias mexicanos, desejamos que esta seja uma exceção em nosso caminho.

Pegamos de novo a estrada para a ponta sul da Baja, mas desta vez escolhemos a estrada Camino Cabo Este margeando o mar, o que revelou paisagens lindas, mas o sacode da estrada mexeu demais com a maçaneta do nosso bagageiro e ficamos sem conseguir abrir a mala, tivemos que retirar o vidro traseiro para repararmos o problema.

Conserto da maçaneta em Cabo San Lucas!

Novamente em Cabo San Lucas, tivemos dias de praia pela segunda vez nesta viagem (a primeira foi em Miami), porque sentimos muito mais frio do que calor nestes 11 meses de estrada, agora nada melhor que sentir o sol no rosto.

Finalmente depois de tantas tentativas frustradas conseguimos ver as baleias, realmente incrível ver estes grandes mamíferos vivendo livres depois de quase serem extintos no Pacífico. Fizemos nosso primeiro voo de parasailing e passamos novo Reveillon comendo pimentinhas do mal, já que Leo sugeriu prepararmos a nossa ceia com pequenos pimentões coloridos, lindos e malditos! O ano para nós começou bem picante!!!

Começando a subir!

Os dias passaram rápidos e tivemos que nos despedir de Cabo San Lucas.

La Paz não seria tão atraente se não fosse pelas praias paradisíacas de Balandra com águas calmas e cristalinas e Tecolote em frente a Isla Espiritu Santo com águas agitadas e cores que variam entre verde e azul, foi aqui que passamos nossa segunda noite acampados na areia da praia, embora o local não tenha nenhuma infraestrutura é permitido o camping. Quando voltamos de Cabo San Lucas pela segunda vez fomos direto para Balandra pensamos que esta seria a última imagem que levaríamos deste estado, mas depois de voltarmos da praia passeando pelo Malecón vimos que estava na época dos tubarões baleias e resolvemos fazer o tour para mergulhar com eles, e foi assim que nos despedimos deste estado que tanto nos surpreendeu com sua gente amistosa, comida boa, praias com águas cristalinas, cactus,  desertos e vale lembrar é considerado o maior aquário natural do mundo. Agora era seguir para o embarque e conhecer o México do lado de lá!

Mergulho com tubarão baleia em La Paz!
Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. monica disse:

    Eu fiz o paraquedas em cancun porem sai da areia puxado por lancha e’ uma delicia a volta gritava help me peguem pensei que ia esburrachar no chao tres homens me pegaram na praia e na volta o final da medo pelo menos eu senti bjs monica

    1. expedicaoih disse:

      Tia Monica,

      Saindo da areia deve ser mesmo assustador, ainda mais na descida!
      Beijos!!!

  2. RODRIGO MARTINS disse:

    Fico feliz em saber que esta tudo bem e que estão se divertindo muito.
    E o carro como está?

    Agora estou atualizado com os posts.

    Aguardo novas historias, grande abraço, T+.

    1. expedicaoih disse:

      O carro está bem, sem mais problemas!!!

      Agora vc atualizado e nós atrasados, rsrs!

      Abração!!!

  3. Tavinho disse:

    Essa viagem cada dia mais bacana, adorando as fotos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s