Hidalgo, fora dos planos!

Partimos do estado de Michoacán sem saber exatamente para onde, só depois de meia hora discutindo sobre o próximo destino é que fomos parar em Tula de Allende no estado de Hidalgo, estado que jamais fez parte do nosso roteiro inicial.

Esta cidade não muito atraente reserva a mais importante zona arqueológica da cultura tolteca, é nesta zona onde estão os famosos atlantes, e claro que esta era uma razão suficiente para visitá-la.

Seguimos para a pequena Actopan que também não nos impressionou, com exceção do grandioso Templo y exconvento de San Nicolás de Tolentino, chegamos na quarta-feira de cinzas e muitas pessoas estavam na missa e quando saíam tinham uma pequena cruz negra pintada em suas testas simbolizando o início da quaresma.

O estado de Hidalgo tem uma paisagem interessante, e fomos finalmente descobrir suas belezas quando subimos a serra em direção à Huasca de Ocampo e Mineral del Monte.

Huasca é um lugarejo gracioso onde ficam os prismas basálticos, grandes formações de colunas em forma geométrica nos lados e no fundo do cânion por onde águas provenientes de mananciais descem formando lindas quedas d’água.

A beleza dos prismas basálticos em Huasca de Ocampo!
Prismas Basálticos!

Mineral del Monte ou Real del Monte, como muitas outras cidades do México é famosa por suas minas, tem uma arquitetura bem conservada e uma localização privilegiada no alto da serra.

Ao final o pequeno estado de Hidalgo tem suas joias e partimos de lá satisfeitos com o que vimos.

O seguinte destino representou horas em uma estrada ruim com motoristas piores, o que é muito comum no México. Como nunca demos detalhes sobre o trânsito no México vamos aproveitar a ocasião e relatar como pode ser alucinante dirigir por aqui.

Os motoristas fazem ultrapassagens pela direita, não utilizam setas, não respeitam sinalizações, carregam crianças pequenas no banco da frente sem cinto (o que, aliás, parece ser algo dispensável nos veículos daqui), cinco pessoas montadas em uma moto é normal de se ver e uma coisa que só vimos aqui até hoje, muitas vezes quando estávamos atrás de um caminhão ou veículo mais lento aguardando um momento e local seguro para ultrapassarmos, iniciamos a ultrapassagem e o carro de trás que deveria esperar a vez dele, começa justamente a fazer o mesmo (ultrapassar) conosco, ou seja, um trio, o caminhão na mão da direita, nós na da esquerda e o terceiro no acostamento da contra mão. Tudo isto tem uma razão de ser, aqui no México a carteira de motorista é literalmente comprada, e somente depois se aprende a dirigir, ou melhor, não aprendem nunca, manobras assustadoras e irresponsáveis que por nós são vista com olhos de escândalo para eles é normal no dia a dia, e como aqui é o país deles e a maioria dirige desta forma agressiva e irresponsável temos que ter atenção triplicada e entrar no ritmo, é realmente estressante dirigir no México.

Enfim, todo este dia de trânsito pesado nos levou até a cidade de Papantla, base para conhecermos o complexo arqueológico de El Tajin e seus famosos “voladores”.

Maquete da zona arqueológica de El Tajín!

El Tajín terra dos totonacas é um lugar mágico com pirâmides e muitas outras construções impressionantes em meio à mata. Todos os dias na entrada os “voladores de Papantla” se apresentam a cada meia hora, primeiro ocorre um ritual com dança e depois a subida, lá em cima o grupo de cinco homens cantam aos quatro pontos cardeais e depois quatro destes começam a descer lentamente girando de cabeça para baixo presos por cordas. Os voladores são famosos em todo o México, e achamos fantástica esta apresentação tradicional e que tão bem representa a cultura local.

Pirámide de los Nichos em El Tajín!
Colorida vestimenta de um tradicional "volador" em El Tajin. Dança de preparação para o voo!

Depois de caminharmos por meio dia embaixo de um calor úmido fizemos o mesmo trajeto de volta às alturas, com o mesmo estresse da descida, e chegamos a tempo de montar nossa barraca antes do temporal no camping Teotihuacan Trailer Park.

Dia seguinte pegamos um táxi coletivo (no México é comum táxis que fazem trajetos fechados, tipo lotação) na praça de San Juan Teotihuacán por R$2,00 que nos deixou na porta três de entrada a zona arqueológica mais visitada do México – Teotihuacán!

Esta grande zona arqueológica que já foi a maior cidade do período pré-colombiano é realmente impressionante, tivemos todo um dia para descobrir a grandiosidade deste lugar e de sua arquitetura impactante.

Já na entrada era possível ver as pirâmides da Lua e do Sol, assim como muitas pessoas subindo as escadarias de quatro, nós optamos por “escalar” somente a Pirâmide do Sol suficiente para ter uma visão geral da área.

Faltando pouco para o topo!
Mural Procesión de Jaguares con trompetas de caracol!
Mural Procesión de aves verdes!

Os murais das aves verdes e dos jaguares ainda conservam certa cor e definição, nos dá uma noção de como era esta cidade em seu auge, colorida e decorada. Uma caminhada pela Calçada dos Mortos nos levou até o Templo de Quetzalcóatl e após oito horas caminhando pela história regressamos ao camping com uma dúvida cruel, ir ou não ir de carro para a Cidade do México onde os amigos que conhecemos em La Paz nos esperavam!

Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. Caramba uma aula de história ” IN loco”, que lugares lindos. Que livro que vai dar esta viagem heim? As fotos estão muito boas, assim como as descrições . Uma curiosidade, nao lembro de ter visto vcs doentes, tiveram algum problema deste na viagem?

    1. expedicaoih disse:

      Ah!!! Estivemos doente sim, Leo passou mal duas vezes no Peru, uma tivemos que ir ao hospital porque foi intoxicação alimentar e a garganta dele começou a fechar, mas melhorou rápido. Eu senti conjuntivite e infecção de garganta nos EUA, hehehe!
      Temos uma excelente resistência às comidas, até aqui no México com a diferença radical de tempero e combinações “loucas” nunca sentimos nada!
      Abraços!!!

  2. Luana Martins disse:

    Olá Leo e Dani,
    o lugar eh maravilhoso, divino !!!!!!!
    principalmente os prismas basálticos belissimos!!!
    mil bjs!!!
    fiquem com Deus…

    Luana

    1. expedicaoih disse:

      Oi Luana,

      Os prismas são realmente interessantes.

      Beijos querida!

  3. Rodrigo Martins disse:

    Com certeza a foto (A beleza dos prismas basálticos em Huasca de Ocampo!) é uma das mais lindas que já vi, eu imaginei o que vocês sentiram pessoalmente.

    Quando vi a foto (Maquete da zona arqueológica de El Tajín!) antes de ler o titulo eu pensei, essa imagem é de um certo jogo de estratégia não é real e brincadeira. rsrsrs Ufa!!! era uma maquete.

    Enorme abraço a vocês, até a proxima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s