Um mago em nossas vidas!

em

Finalmente Campeche ficou para trás e seguimos rumo à Mérida a capital do estado de Yucatán, nossa chance de reparar a barraca e seguir acampando em nossa viagem da mesma forma como iniciamos estava lá!

Deixando a barraca de lado por um tempo vamos nos concentrar no que há de mais interessante entre estas duas cidades: as diversas zonas arqueológicas!

A primeira parada foi em Edzná, que embora não seja muito visitada, teve grande importância no mundo Maia, o que pode ser compreendido ao ficar diante da Pirámide de los Cinco Pisos na Gran Acrópole.

Pirámide de los Cinco Pisos em Edzná!

Seguimos em direção à Mérida até tomarmos um desvio que nos levou direto à Ruta Puuc já no estado de Yucatán. Um espetáculo de exemplares Maias em estilo único e marcante!

Uma das muitas iguanas pela Ruta Puuc!

Iniciamos pelas quatro zonas arqueológicas menores, Kabah, Sayil, Xlapak e Labná e no final da tarde chegamos à Uxmal a principal atração deste conjunto. Para garantirmos nosso ingresso para o dia seguinte decidimos comprá-los logo e uma surpresa, os presos por aqui eram três vezes mais caros do que nas demais zonas arqueológicas que já tínhamos visitado em todo o México, a explicação que nos deram é que os sítios de Yucatán pertencem a uma classificação A, mas que tem todos incluem um show de luz e som, o que não é opcional. Como chegamos cansados e sem a luz do sol achamos que seria melhor dormir por ali e ir ao show noturno o que por pouco não aconteceu devido a uma forte chuva meia hora antes da apresentação, mas por fim conseguimos assistir!

Yucatán!
Representação do Chaac deus da chuva em Kabah!
Pirámide del Mago o Casa del Adivino em Uxmal!
Pirámide del Mago o Casa del Adivino em Uxmal!

Na manhã do dia seguinte voltamos então para ver Uxmal num cenário diferente da noite anterior, o dia estava completamente nublado com cara de chuva forte, mas depois de algumas horas o sol saiu e pudemos contemplar a impressionante Pirámide del Advino e todas as outras estruturas fantásticas deste lugar, vale fazer alguma pequena “escalada” para deslumbrar a panorâmica, mesmo que para alguns seja tortuoso subir as escadarias deste passado tão enigmático!

Diante da engenhosidade dos antigos maias em Uxmal!
Uxmal!
A subida para fotografar uma panorâmica nem sempre é fácil!

A Ruta Puuc nos surpreendeu do início ao fim, na verdade não tínhamos tantas expectativas para esta região, sabíamos que era interessante, mas não ao ponto de nos deixar tão atônicos com a riqueza de detalhes arquitetônicos e o estado de conservação, partimos satisfeitos e prontos para o desafio de encontrar alguém disposto a arrumar nossa “casa”.

Tão logo pisamos em Mérida conseguimos um bom hotel, e quando digo bom, quero dizer bem localizado, barato e limpo, e fomos ao centro de informações turísticas para pedir indicações sobre serviços de marcenaria. Eles nos indicaram no mapa um local perto de onde estávamos e outros dois mais distantes, fomos direto ao primeiro onde um senhor muito atencioso nos recomendou outro local bem em frente, e foi lá que tivemos o prazer de conhecer o trio Anastacio Guillen, Ramón Guillen e o José Bernardo Guillen ou como é mais conhecido Mago Merlin.

Explicamos exatamente o acontecido e mostramos todas as recomendações e orientações que a Camping’s world nos passou para fazer o reparo e prontamente recebemos um “sim, voltem amanhã cedo e faremos o serviço”. 

Voltamos à oficina pela manhã conforme combinado, descemos a barraca e o Mago Merlin anotou todas as medidas e nos disse onde poderíamos comprar uma chapa na mesma espessura e de boa qualidade. Leo foi junto com o Ramón, sobrinho do Mago ao local, e quando tudo parecia indo bem eis que aparece o funcionário da loja de madeira com a chapa com uma fenda da largura de um dedo e uns 20 cm de comprimento. Leo olhando aquilo perguntou: mas você não tem uma chapa sem fendas? E ele foi logo dizendo que não, que aquela era a última. Então Leo disse que não iria levar uma chapa naquele estado e que queria o dinheiro de volta. A mulher que trabalhava no caixa foi logo se metendo na conversa e disse que não podia devolver a grana, e Leo disse que iria chamar a polícia porque aquilo era inaceitável, e entre muitos disse daqui e disse dali, a mulher perguntou ao funcionário na frente do Leo: realmente não tem outra? Você poderia checar no depósito? E de forma descarada e tranquila o cara respondeu: tem sim, mas está embaixo de várias outras chapas e isto vai levar muito tempo e dar muito trabalho!!!

Escutar isto foi realmente enlouquecedor, ou seja, o cara quer trabalhar, mas não quer ter trabalho, está lá ocupando a vaga de outro que certamente poderia fazer melhor do que ele, mas enfim, Leo resolveu não mais discutir com o cara e pela última vez falou com a mulher: você tem três opções, pode chamar o dono para que eu explique o bom atendimento que vocês prestam, eu posso ir direto chamar a polícia, ou você me traz outra chapa em condições aceitáveis!

A mulher olhou para o funcionário e o mandou ir ao depósito procurar uma chapa sem fendas e cortá-la. E não é que ele voltou com uma chapa boazinha e bem rápido?!

Café da manhã em Mérida antes de botar a “casa” em dia!
O mago e suas mãos caprichosas!

Leo e Ramón se livraram daquele lugar e retornaram para a oficina, onde ao contrário da loja de madeira foram muito simpáticos, atenciosos e profissionais.

Levou praticamente um dia inteiro para repararei o estrago da barraca, mas o resultado valeu a espera. Os três Guillens foram muito mais do que profissionais foram amigos e solidários em relação a tudo, na urgência e preferência que deram à situação como em nos convidarem e servirem para sentarmos a mesa na hora do almoço. Mas também tivemos uma bela lição de determinação do senhor José Bernardo Guillen que apesar de ter nascido com um problema auditivo e ser praticamente surdo, superou preconceitos e foi atrás de seu sonho em se tornar mágico!

O dia encerrou com nossa casa de pé novamente e nós prontos para retomarmos nossa viagem mais tranquilos e felizes!!!

Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. Rodrigo Martins disse:

    Essa foi impressionante mesmo, parecia até vocês estavam no Brasil, naquelas lojas que ninguém quer trabalhar. E mais uma vez no final tudo deu certo. Seu amigo aqui do brasil esta muito mas muito feliz por vocês e com muita, muita saudade mesmo. Um enorme abraço. Até a próxima.

    1. expedicaoih disse:

      Nós também estamos com muitas saudades de vocês! Realmente lembra bastante algumas experiências que já tivemos aí no Brasil! Grande abraço!

  2. Dani disse:

    Guardando le vostre foto e leggendo il vostro racconto, fate venir voglia di partire subito per venire da quelle parti!!! Buon proseguimento.

    1. expedicaoih disse:

      Grazie, ci sono molte cose belle da vedere in questo mondo!

  3. Monica Gellis disse:

    Nossa para voce que e’ alpininsta dizer que a subida e’ dificil limagina para n’os …Mais valeu pelas fotos que tiraram realmente otimas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s