As belezas no caminho para o Caribe!

Deixamos Mérida e escolhemos seguir um pouco pela costa do Golfo do México indo direto para a cidade de Progresso, um lugar não muito interessante, mas com boas opções de restaurantes à beira mar onde servem peixes frescos.

Cidade de Progresso no Golfo do México!
Laguna Rosada!

Continuamos pela costa, cruzamos a Laguna Rosada e então voltamos para o interior do estado de Yucatán para visitarmos a pequena Izamal, a cidade amarela. Caminhar por suas ruas é realmente prazeroso, com seu jeito manso de lugarejo, suas carruagens para turistas (na verdade não vimos nenhum além de nós) e restaurantes simpáticos por toda parte, poderíamos ter ficado ali por dias, mas estávamos ansiosos e curiosos demais para ver os cenotes que viriam pela frente, o primeiro foi o de Yokdzonot!

Convento de San Antonio de Padua em Izamal!
Convento de San Antonio de Padua em Izamal!
O amarelo e branco na arquitetura de Izamal!

Ficamos um tanto decepcionados porque a água não estava azul como tínhamos visto em tantas fotos, o que parece ser normal de acordo com a explicação que os guias locais nos deram, que de tempos em tempos a coloração muda, e justo no dia em que estivemos lá ela estava num tom verde escuro não muito convidativo para nadar.

Cenote de Yokdzonot!
Cenote de Yokdzonot!

Entre Yokdzonot e os próximos cenotes que visitamos, está nada mais nada menos que uma das sete maravilhas do mundo moderno – Chichén Itzá!

Chichen itza!

Sempre cruzamos com turistas nas outras zonas arqueológicas que visitamos, mas em Chichén Itzá era algo assustador o número de visitantes, e os preços exatamente iguais à Uxmal também incluindo o show de luz e som noturno que dispensamos. Caminhamos todo o dia por lá sob um sol escaldante, de fato a pirâmide El Castillo e sua acústica é impressionante, assim como o jogo de pelotas, o maior do México. Seria muito fácil visitar esta zona e imaginar seu esplendor nos tempos antigo, mas isto fica quase impossível devido ao número de pessoas andando por ali, sem mencionar os vendedores dentro do sítio arqueológico querendo vender suas mercadorias e importunado os visitantes, com os “benditos” jaguares, igual à Teotihuacán, porém aqui esperávamos um pouco mais de fiscalização e limitações a este tipo de comércio dentro da área que deveria ser preservada, é tão difícil destinar uma área específica para venda e livrar o turista que tenta caminhar sossego pelas trilhas de serem importunados?!

Comércio dentro da zona arqueológica de Chichen Itza!
E mais comércio dentro de Chichen Itza!

Seguimos viagem e chegamos ao final da tarde à Valladolid, base para visitar os cenotes de Zaci (que fica dentro da cidade), Samula se  X’Keken, os dois ficam fora do perímetro urbano mas próximos entre si, na verdade um em frente ao outro.

Cedo vestimos nossas roupas de banho e dirigimos para a zona dos cenotes, ainda com receio de não serem nada do que vimos em fotos, mas arriscamos comprar logo o bilhete para ver os dois.

Ex-Convento de San Bernardino de Siena em Valladolid!

Fomos seguindo os passos de um senhor que nos mostrou a entrada, parecia impossível que depois de descer uma escada escura entre pedras daríamos de cara com uma das coisas mais fantásticas que vimos nesta viagem. O cenote Samula tinha uma água tão azul que parecia artificial, o buraco no teto permitia que a luz do sol iluminasse a água e nos permitisse ver os peixes. Sem pensar duas vezes demos nosso tchibum, a água que no início estava gelada em pouco tempo se tornou agradável!

Cenote Samula, um lugar mágico!

Saímos dali andamos um pouco, novamente descemos uma escada e nova surpresa, o cenote X’Keken, tão encantador como o primeiro porém bem mais cheio. Sem mais entramos na água, ali também um buraco permitia a entrada do sol iluminando as estalactites. Apenas vamos abrir aspas para um detalhe que nos incomodou, eles utilizam iluminação direta com tons fortes o que prejudica a percepção do local como um todo, o que também influencia nas fotos, uma pena!

Cenote X’Keken – Dzinup!

Decidimos de última hora seguir para La Biosfera de Rìa Lagartos, mais conhecida como Reserva Rìo Lagartos.

A reserva fica localizada no Golfo do México já quase no Caribe, o povoado tem hotéis, restaurantes e um lugarzinho especial para acampar, e de graça. Com a nossa barraca reparada pelas mãos do “mágico” estávamos prontos para testá-la, mas antes fomos até uma das oficinas de turismo reservar nosso passeio. No momento em que chegamos à oficina um casal de mexicanos da capital também estava procurando por tours e acabamos pagando por um junto com eles, o que saiu muito mais barato para nós.

Os flamingos nos saudando na entrada da Reserva de Río Lagartos!

Quem vem à Rìo Lagartos está buscando uma coisa em especial, ver os flamingos vermelhos, mas em nosso caso foi muito além disto. Os homens na oficina nos indicaram onde ficava o “camping” e descobrimos duas coisas indo para lá, primeiro que ficava num lugar privilegiado à beira d’água e segundo que os nossos amigos holandeses, os mesmos com quem visitamos a Reserva das Monarcas em Michoacan e encontramos em Campeche, também estavam acampados lá e que tinham contrataram um tour para o dia seguinte.

Passamos à noite ali conversando contemplando um pôr do sol daqueles vermelhos com o sol amarelo, depois fomos para cama, o dia seguinte começaria bem cedo!

Às sete da manhã, juntos com nossos colegas mexicanos, entramos no barco e seguimos pelos manguezais, de longe avistamos algumas aves, a mais surpreendente até então foi a garça tigre, uma espécie que não conhecíamos, mas para dentro dos manguezais os grupos de flamingos foram surgindo, eram muitos, e de um tom vermelho forte, muitos se afastavam ao escutar o barulho do barco, outros pareciam não se incomodar com a nossa presença. Mais um pouco e o nosso guia tira da água a criatura mais esquisita que tínhamos visto até então, um caranguejo pré-histórico pouco estudado, mas que atualmente tem sido foco de análise de grupos japoneses devido a estes acreditarem que esta espécie possui substância medicinais, enfim, ele é bem esquisito e totalmente inofensivo, as patas são como plásticos, muito suave.

O “diferente” caranguejo pré-histórico na Reserva de Río Lagartos!

No último instante de nosso tour, recebemos a visita de um jacaré perto do barco, ele nos acompanhou por um tempo e depois aceleramos. Foi uma manhã daquelas bem aproveitada, valeu cada centavo gasto (lembrando que no México os preços são bem acessíveis), almoçamos como nossos colegas do DF e finalmente seguimos para o Caribe.

Surpresa final no tour pela Reserva de Rìo Lagartos!

Entramos por Cancun e a periferia da cidade parecia assustadora, diferente da propaganda que fazem do local, que, aliás, aquela parte luxuosa cheia de resorts fica numa única zona beirando o mar. Definitivamente Cancun não estava nos planos, não pelo menos para ficarmos, queríamos passar, ver e pronto, então acabamos indo parar em Puerto Morelos, um lugar menor, mais tranquilo, mais barato e com o mesmo mar azul.

A primeira vista do Caribe “irrita” os olhos, a água em tons azuis parece uma pintura e nos deixou desde o início ao fim hipnotizados.

Puerto Morelos, nosso primeiro contato com o Caribe mexicano!
Curiosa casa em Puertos Morelos!

Imagino que para quem nos acompanha mudanças repentinas em nosso roteiro seja algo previsível, ou pelo menos esperado, desta vez resolvemos voltar para Cancun e pegar a balsa para Isla Mujeres.

Na balça a caminho de Isla Mujeres, sem mais comentários!!!
Barzinho simpático em Isla Mujeres!

O percurso ia revelando um mar listrado com faixas em azul claro e azul escuro, lá no final do horizonte as construções iam surgindo. Foi simples e rápida a travessia, ao contrário da nossa busca por um lugar para ficarmos, uma verdadeira maratona, a ilha não tem camping e ficar sem banho no calor que fazia estava fora de questão, foi então que conhecemos o senhor Arturo, dono da pousada Mar y Vela, que nos recepcionou extremamente bem e nos proporcionou bons momentos juntos!

Espaço de sobra para relaxar – Isla Mujeres!

Nossa ideia era de passar três noites e acabamos ficando duas semanas. Todos os dias fomos à praia, nadamos, caminhamos pela orla, assistimos ao pôr do sol e agradecemos a oportunidade de estarmos ali, onde tudo parecia calmo, o que muito se deve ao fato de ser uma pequena ilha com um número pequeno de moradores, sendo a maioria de pescadores.

Nosso cantinho preferido em Isla Mujeres!
Com nosso amigo Arturo em Isla Mujeres!

O que sucedeu a partir daqui muda todo o curso da Infinita Highway. Um novo começo, uma nova largada!!!

Anúncios

7 comentários Adicione o seu

  1. Gloria disse:

    OLA MEUS SOBRINHOS! (permita- me) ? Adoro viajar nesse mundo de vcs! E de meu DEUS!
    Ou melhor ver esse mundo através de seus olhos. Obrigado pela carona .PARABENS!
    FIQUEM COM DEUS! bjos

    1. expedicaoih disse:

      Tia Glória, está mais que permitido se também nos permitir 🙂 Obrigado pelas palavras, beijos grande e fiquem com Deus também!!!

      1. Monica Gellis disse:

        Nossa que site lindo com blog e tudo mais voces agora estao com a magica de Ceneta KEN KEN ninguem segura mais voces , esta vindo holloween compra a vassoura para a Danny ha ha ha mexicana e adorei as fotos obrigada

  2. Monica Gellis disse:

    As novidades e fotos cada vez mais fascinante lugares lindos e no verao fica tudo mais light e solto , voces tem razao sobre a iluminacao , soube que na piramedes do Egito tiraram a iluminacao forte laser creio , pois estava danificando as estruturas . Bjs

  3. Marina disse:

    Meninos, suas fotos estão cada vez melhores. Tudo bem que Isla é uma modelo generosa, como bem pudemos comprovar seguindo as dicas que vocês deram. A minha foto preferida ficou com a da bicicleta sombreada, maravilhosa! Parabéns e que muitas outras paisagens lindas os acompanhem nessa infinita highway! Beijos MM

  4. Leonor Capeluto disse:

    oi Dani,
    lugares maravilhosos e fotos de tirar o fôlego!! há tempo vcs não postavam nada !!1 mas valeu esperar e…. uma perguntinha que não quer calar: o que vcs querem dizer com : ” O que sucedeu a partir daqui muda todo o curso da Infinita Highway. Um novo começo, uma nova largada!!!” ?????

    1. expedicaoih disse:

      Oi Leonor, tudo bem?

      O novo começo se resume a duas coisas: subimos para os EUA outra vez, e agora iremos viajar pela Europa! Vou explicar no próxima post melhor 🙂 Beijos,
      Dani

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s